Blog

Pesquisa:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
COMPARTILHE:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Gostaríamos de apresentar duas grandes profissionais da nossa equipe, a Dra. Sandra Boratto e a coordenadora de estudos clínicos Bianca Rodrigues.

Formada em Ciências Biológicas pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) e pós-graduada em Auditoria de Saúde pela Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), a Bianca Rodrigues acumula seis anos de experiência em estudos clínicos, tendo conduzido aproximado 30 estudos nas disciplinas de reumatologia, nefrologia, psiquiatria, ginecologia e gastro.

A Dra. Sandra Boratto é formada em Medicina pela FMABC e, além de ser Membro Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, também é coordenadora do programa de Residência Médica da disciplina na FMABC.

Com uma vasta experiência na área da Medicina com ênfase em Cirurgia Proctológica, a Dra. Sandra atua principalmente com doenças inflamatórias intestinais e cirurgia do aparelho digestivo e coloproctologia.

Ambas são profissionais altamente qualificadas, com uma larga experiência nas suas respectivas áreas e que contribuem imensamente para que o CEMEC atinja os seus objetivos.

Em entrevista exclusiva, a coordenadora do estudo de Doença de Crohn, Bianca Rodrigues expôs a sua opinião e comentou sobre as principais dificuldades enfrentadas pelos pacientes:

"Muitos dos pacientes tem sido mal orientados ou não possuem o acompanhamento adequado por conta da morosidade no diagnóstico da doença, então às vezes o paciente é tratado de tal forma que ele não é assistido corretamente ou não tem a conduta adequada. A crise e a situação dele acabaram piorando e quando essa paciente vem para nós, ele já está em situação de emergência.”

Além disso, comentou sobre as principais diferenças entre Doença de Crohn e Colite:

"São doenças autoimunes, que são doenças nas quais as nossas células de defesa começam a atacar o nosso organismo e a diferença de Crohn pra Colite é mínima, já que em ambas há o aumento de número de evacuações e dor abdominal, mas na Colite há a presença de sangue nas fezes, o que pode não acontecer na Doença de Crohn. As porções do nosso intestino são atacadas de diferentes em formas em cada doença. Por exemplo, no Crohn as células de defesa vão atacar uma porção do ilho, por exemplo, na Colite não. Na colite ela pode atacar ou agir em outras porções do intestino.“

Para finalizar, comentou sobre o estudo realizado pelo CEMEC com Doença de Crohn e mencionou a importância desta pesquisa para os pacientes:

“(O estudo) está ativo desde 2018, com pacientes que estão ativos desde então e cuja qualidade de vida deles aumentou, desde número de evacuações e dores abdominais, além da melhora dos exames laboratoriais, já que é bem comum que um paciente com crise de Doença de Crohn e de Colite ter crises de anemia ou crises de artrite. A intenção é manter o estudo ativo até que a medicação vá ao mercado."

“Porque as medicações que usam anticorpo monoclonal precisam ser estudadas para ver quais são os efeitos deste tipo de medicação, quais são os efeitos colaterais e avaliar se o benefício de usá-la é maior que o risco e se trará qualidade de vida para o paciente.”

Quer se inscrever para o estudo sobre Doença de Crohn? Clique aqui.

Cadastre-se e receba notícias do CEMEC

Unidade São Bernardo do Campo

Rua Silva Jardim, nº 187 • Salas 63 e 64 • Santa Tereza
CEP: 09715-090 • São Bernardo do Campo • SP

Fax: +55 (11) 4930.4342
Tel: +55 (11) 4930.4243
E-mail: coordenacao.sbc@cemecpesquisaclinica.com
E-mail: gerencia@cemecpesquisaclinica.com

Copyright © 2019 CEMEC Pesquisa Clínica. Todos os direitos reservados.

Website desenvolvido por Emcomjunto
WhatsApp chat